lagoa de Igarapé da Cachoeirinha

postal de 1905 Igarapé da Cachoeirinha

Estas lagoas, de esplendores
Tão vivos à luz dos luares,
Emolduradas pelas flores
Dos lírios e dos nenufares —

Recordam-me (vêde a afoiteza
Da minha fantasia ao vê-las!)

Grandes espelhos de Veneza
Para a “toilette” das estrelas!

Manaus — 22-2-905

— Poema de Euclides da Cunha em postal de 22 de fevereiro de 1905, Igarapé da Cachoeirinha, Manaus, sem destinatário

metrificação

The Kiss (Le Baiser)
Constantin Brâncuși, The Kiss (Le Baiser), 1907-08. Philadelphia Museum of Art

Não sei metrificar, medir, separar pés…
— Pois — um beijo tem leis? — a um canto um núm’ro guia
Pode moldar-se uma alma às leis da geometria?

— Euclides da Cunha, caderno Ondas, poema “Último canto”, 1, estrofe 1, versos 9-11. In: Poesia reunida, org. Leopoldo M. Bernucci, Francisco Foot Hardman, São Paulo, UNESP, 2009. p. 205